09 de outubro de 2013
 
  Boletim 32/2013

ATIVIDADES CONFIRMADAS E INFORMADAS à FEPAR para este próximo fim de semana, 12 e 13 de outubro de 2013.

FRANGO LOCO PARAQUEDISMO
Confirmado atividade no Frango Loco no Aeroporto Mocelin - DOIS VIZINHOS PR. Aeronaves Cessna 182 e Seneca II . Saltos Duplos , Saltos para alunos AFF, ASL, BBF, Treinamentos e Saltos para atletas. . Tradicional janta no sábado entrada free / lanchonete / sala de TV a cabo / banheiros limpos / sala de edição / ar condicionado / wi-fi free / area gramada para pousos / voos panoramicos de helicoptero. Contatos e maiores informações : www.frangoloco.com.br / 46 3536 5154 / 46 9108 5008 a/c Macelo Mocelin

RTA : MARCELO MOCELIN


SKYDIVE FOZ
Confirmada atividade diariamente ( segunda a sexta das 9 hs ao por do sol / sabados e domingos das 8 hs ao por do sol ) , Aeroporto ESTANCIA HERCULES, FOZ DO IGUACU - PR. Aeronave Cessna 180 PT- BRB e Pilatus Porter PC6. Instrução : Coach BBF, Coach Belly Fly Avançado , Coach TR , Pilotagem de Velame , Coach de Free Fly e Manutenção de Equipamentos. Equipamentos para alugar : Student 280 / 260 capacetes. MAIORES INFORMAÇOES :
45 3027 5070 / 45 9148 9756 / contato@skydivefoz.com

RTA : Joao Vitor C. Braga

SKYDIVERS ARAPONGAS
Informamos que neste final de semana atividade de saltos confirmada em arapongas na sede skydivers no aeroporto municipal. Saltos duplos, cursos, BBF , saltos noturno, churrasco e muita diversão.

informações 43 99728558 Luis Vieira www.skydivers.com.br

RTA: Luis Vieira

Leia semanalmente os boletins da CBPq e da FEPAR e mantenha-se atualizado, a nossa segurança depende da informação.
Atenciosamente

FEPAR

 
     
     
 
MUDANÇA DE CATEGORIA
Devido aos pedidos de mudança de categoria viemos através deste destacar algumas alterações do Código Esportivo. Primeiramente citamos que os artigos referentes a mudança de categoria no nosso Código Esportivo são os constantes no Capítulo IX - NORMAS PARA OBTENÇÃO DE CATEGORIA - o artigo 196 - trata dos requisitos para categoria A; o 197 o para obtenção de Categoria B; 198 para categoria C e 199 para a categoria D.

Também destacamos que a mudança de categoria é de responsabilidade do atleta. O instrutor vai atestar que você está apto a mudar de categoria mas você deverá enviar a federação todos os documentos exigidos nos artigos para a mudança de categoria.

O artigo 6 e o 200 dizem o seguinte:

Art. 6º - Todo e qualquer paraquedista esportivo deverá portar uma Licença Esportiva válida, emitida pela CBPq, e uma Caderneta de Salto que deverá conter todas as informações sobre os saltos realizados.
§ Único: Ao solicitar mudança de categoria, o atleta deverá fazê-lo por intermédio da sua Federação enviando os documentos que comprovam ter realizado os pré-requisitos, bem como a cópia da caderneta com a assinatura do instrutor ou instrutor-avaliador responsável pela mudança.
A Federação repassará os documentos acima à CBPQ que confirmará se o solicitante possui todas as exigências antes de emitir a licença

Art. 200º - Após satisfazer as condições exigidas, o paraquedista deverá requerer junto à sua respectiva Federação a emissão da categoria atingida, anexando as informações que comprovem ter cumprido todas as exigências e o pagamento da taxa aprovada pela CBPq.

neste sentido, a FEPAR, vem informar aos atletas que para a mudança de categoria são exigidos todos os meios de provas que comprovem a sua capacidade para obtenção da categoria. Estes documentos devem ser providenciados pelos atletas, scaneados e enviados a FEPAR a qual confirmará a mudança de categoria junto a CBPQ.

Além disso, devemos destacar ainda que:

Art. 201º - Até a Categoria "C", um Instrutor em dia com a CBPq/CIS está autorizado a indicar a promoção da Categoria, o que será processado através de seu testemunho formal na Caderneta de Salto do interessado e informado no site da CBPq.

Por esta razão, mesmo que o instrutor indique a mudança de categoria o ATLETA deverá providenciar todos os documentos e videos que comprovem que o mesmo está apto a mudança de categoria.

Salientamos que essa obrigação é do atleta e não do instrutor.
DIA DA SEGURANÇA
Dia 22 de outubro é o dia da Segurança do nosso ESPORTE. Este ano infelizmente já tivemos dois acidentes fatais. Um em SANTA CATARINA e outro no PARANÁ (no último fim de semana) por causa da CURVA BAIXA. O primeiro foi com um aluno de primeiro salto e o outro com um atleta experiente. Neste ano não vamos mais falar que CURVA BAIXA MATA!!! não iremos mais abordar os mesmos assuntos que já cansamos de escutar, enfim, vamos simplesmente refletir nossas atitudes como esportista. Não interessa o esporte que você pratica e sim a forma como você pratica.

Devemos pensar que antes de mais nada somos mortais, erramos e o acidente pode acontecer num dia normal, ou seja, de repente estamos aqui curtindo, se divertindo, brincando com os amigos e num breve momento por um descuido vamos para um velório. Esse descuido não é culpa do esporte, não é culpa das regras, não é culpa do seu amigo que te alertava sobre suas irresponsabilidades. Esse descuido parte da gente que começa a acreditar que somos imortais, ousados, QUE NUNCA VAMOS SOFRER UM ACIDENTE.

Cada um que pratica esse esporte ou outros que envolvam riscos devem ter a consciência que a segurança tem que partir de você. Você sabe que é perigoso, você sabe que pode MORRER. Você sabe que estes acidentes nunca vão parar. Mas respeite a si mesmo e as pessoas que saltam com você.

ALUNOS se informem com seus instrutores sobre PANES, CURVA BAIXA, PROCEDIMENTO DE EMERGÊNCIA, enfim, os riscos do nosso esporte. Converse com seus amigos, busque informações para não virar estatística. Ninguém está livre, basta ter consciência do que você vai fazer. Respeite seus limites.

ATLETAS também não são os conhecedores de tudo. ERRAMOS!!!!! Atualização, técnica, cursos, procuro sempre estar atualizado e em segurança.

INSTRUTORES conversem com seus alunos e amigos sobre os acidentes e sobre prevenção. As regras todos conhecem e todos sabem o que acontece quando não as respeitamos. MAS A SEGURANÇA QUEM FAZ É VOCÊ.

CADASTROS
Em relaçao aos cadastros lembramos a todos que o mesmo deve ser preenchido completamente no site da FEPAR. Cadastros incompletos mesmo com os comprovantes de pagamentos não serão aceitos e ficarão em aberto.

Os cadastros que estão regulares constam no site da FEPAR no seguinte endereço: http://www.fepar.org.br/atletas.php.

Após a efetivação do cadastro na FEPAR o mesmo é enviado a CBPQ e depois é atualizado lá também. Pedimos a todos cadastrados que após a regularização junto a FEPAR e CBPQ o mesmo deverá entrar no site da CBPQ e preencher o cadastro lá também para o recebimento da credencial.
BOOGIE FEPAR - ENCONTRO DE AMIGOS
GALERA:

Devido ao valor do Dollar e a dificuldade de trazer 1 caravan pra realização do RECORDE PARANAENSE o mesmo esta sendo adiado. Nos seu lugar haverá um encontro de fim de ano de todos os atletas paranaenses na cidade de FOZ DO IGUAÇU. Esse evento terá o apoio total da FEPAR. segue abaixo mais detalhes:

BOOGIE FEPAR

O BOOGIE FEPAR é um encontro anual dos paraquedistas paranaenses com o apoio da FEPAR. Este ano o evento acontecerá na cidade de FOZ DO IGUAÇU, na escola SKYDIVE FOZ. O evento já foi definido como uma confraternização onde os atletas irão para saltar e se divertir, sem LO, sem competição, enfim, um evento para nos divertirmos e saltarmos.

O evento acontecerá nos dias 06, 07 e 08 de dezembro, sendo que no sábado haverá uma festa de confraternização com uma COSTELADA e FREEBEER. O evento terá uma taxa de inscrição no valor de R$ 50,00 e esta verba será destinada a confecção das camisetas e demais gastos para a realização do evento.

A aeronave será o PILATUS PC6 PORTER com lançamentos a 13500 pés.

Em breve mais novidades sobre o evento da nossa federação.
CURSO BBF e AFF
CURSO DE BBF em Foz do Iguaçu dos dias 09 a 17 de novembro. O curso será ministrado pelo instrutor RICARDO PETTENÁ e terá como organizadores a escola SKYDIVE FOZ. quem tiver interesse favor mandar um email para a FEPAR.
CALENDARIO ESPORTIVO FEPAR 2013
Atenção todos os Clube Escolas que pretendem sediar competições oficiais da FEPAR , favor informar com antecedencia para que possam ser divulgadas , homologadas e acordadas com os devidos árbitros de cada competição. Todas as competições poderão sofrer alterações de datas e localização desde que haja um mínimo de 20 dias de antecedencia. Segue abaixo datas e locais já confirmados e datas em aberto no Calendário :


OUTUBRO 2013

11, 12 e 13 de outubro - Segunda Etapa do Campeonato Paranaense de V4 - FRANGO LOCO - Dois Vizinhos. (ESPERANDO O REGULAMENTO PARA VALIDAÇÃO)

26 e 27 de outubro - Terceira Etapa do Campeonato Paranaense de V4 - FLY LONDRINA - Londrina

NOVEMBRO 2013.

15 E 17 de novembro - Campeonato Paranaense de FREEFLY - SKYDIVE FOZ (ESPERANDO O REGULAMENTO PARA VALIDAÇÃO)

DEZEMBRO 2013

06, 07 e 08 de Dezembro - ATIVIDADE DE CONFRATERNIZAÇÃO ANUAL FEPAR - BOOGIE FEPAR (SKYDIVE FOZ).

CAMPEONATO DE V4 - LONDRINA

Etapa Londrina – 26 e 27 de Outubro de 2013
Londrina – PR


REGULAMENTO

1. Finalidade
Regulamentar o Campeonato Paranaense de VELOCIDADE DE 4 – Etapa Londrina - VERSÃO 2013 que será organizado e realizado pela Federação Paranaense de Pára-Quedismo – FEPAR em conjunto com a FLY Paraquedismo Londrina.

2. Local, Data, horário e Aeronave
Local: Aeródromo 14 Bis, Warta, Município de Londrina
Data: 26 e 27 de Outubro de 2013
Horário inicio: 09:00 hrs do dia 26 de Outubro – Reunião dos capitães e início do campeonato
Horário máximo previsto para o término: 17:00 hrs do dia 27 de Outubro
Aeronave: PR-BEX – Cessna 205

3. Objetivos
a. Determinar a equipe Campeã da Etapa Londrina
b. Pontuar as equipes para o Ranking geral do Campeonato Paranaense de V-4 2013
c. Estabelecer tentativas de recordes Paranaense e Brasileiro de V4
d. Incentivar os atletas filiados a FEPAR em permanecer no esporte, incentivando-os através desta competição.
e. Promover a troca de informações e aprendizado entre as equipes em um clima saudável de competição e ajuda entre os competidores.
f. Promover a confraternização entre atletas, escolas, instrutores e federação.
g. Proporcionar trocas de experiências, conhecimentos e informações.

4. Execução
O campeonato será executado em 03(três) rodadas, podendo, no entanto ser considerado válido com apenas 02(duas) rodadas completas realizadas, se houver impedimento técnico ou qualquer outra circunstância julgada pela comissão técnica que o impeça de ser continuado. Todos as rodadas realizadas serão válidas, não haverá descartes.
Cada equipe será composta por cinco atletas, sendo que um será o câmera, que não participará da formação e a sua filmagem será o único objeto de julgamento. Os demais integrantes poderão a critério próprio utilizar-se de filmadora porém apenas a filmagem do câmera oficial será observada.
A categoria mínima de participação no campeonato é B. O câmera será o único componente da equipe que poderá participar em mais de um time, sendo que o mesmo poderá ser câmera em um time e integrante da formação em outro. Não será permitida a participação em mais de um time na tarefa de formação.
O número mínimo de equipes será de 3 e máximo de 10.
Os saltos serão realizados a partir de 10.000 pés.
No posicionamento da saída nenhuma parte do corpo de qualquer integrante poderá ficar para fora da aeronave. “No Show”
É proibido também qualquer tipo de “grip” no momento da saída da aeronave. “No Grip”
O cronômetro será aberto a partir do momento que qualquer parte do corpo do primeiro integrante da equipe encontre-se fora da porta do avião, portanto o “PS” deve ser feito antes da saída do câmera, e será tomado o tempo até que os 4 (quatro) atletas estejam formados em uma estrela, que deve ser configurada e voe estável por no mínimo 2 segundos.
As tomadas de tempo serão acumuladas a cada salto, será vencedora a equipe que após o último salto somar o menor tempo gasto para formar as estrelas. Em caso de empate, a equipe que realizou a estrela no menor tempo em um dos saltos de competição será considerada a vencedora. O tempo máximo a ser considerado é de 35 segundos de trabalho após a saída do primeiro pára-quedista, qualquer tempo acima disto não será considerado.
A comissão técnica terá plenos poderes para julgar os casos de infração as normas de segurança, cabendo desde eliminação da equipe da competição, até invalidação do tempo obtido. São consideradas graves, as infrações referentes a aberturas e curvas a baixa altura.
A comissão técnica será composta pelos capitães das equipes, cabendo as decisões em votação plenária.

5. Inscrições
As inscrições deverão ser feitas diretamente na área até 1 (uma hora) antes do início das atividades, mediante a apresentação e presença dos integrantes da equipe devidamente em dia com a CBPq e FEPAR. Não será cobrada taxa de inscrição.

6. Premiação
Campeã: Medalhas
Vice Campeã: Medalhas
Terceira colocada: Medalhas

7. Comissão Organizadora
Diretor do Campeonato: a definir
Juiz Chefe: a definir
Júri: Os capitães das equipes participantes.
CAMPEONATO DE V4 - DOIS VIZINHOS
CAMPEONATO DE V4 – DOIS VIZINHOS
Etapa Dois Vizinhos – Frango Loco – 12 e 13 de Outubro de 2013
Dois Vizinhos – PR
REGULAMENTO
1. Finalidade
Regulamentar o Campeonato Paranaense de VELOCIDADE DE 4 – Etapa Dois
Vizinhos / Frango Loco - VERSÃO 2013 que será organizado e realizado pela
Federação Paranaense de Pára-Quedismo – FEPAR em conjunto com Clube e
Escola de Paraquedismo Frango Loco.
2. Local, Data, horário e Aeronave Local: Aeródromo Mocelin, saida para Pato
branco na cidade de Dois Vizinhos Data: 12 e 13 de Outubro de 2013 Horário
inicio: 09:00 hrs do dia 12 de Outubro – Reunião dos capitães e início do
campeonato Horário máximo previsto para o término: 17:00 hrs do dia 27 de
Outubro Aeronave: Seneca II – Bi-Turbo capacidade de 7 paraquedistas e
lançamentos a 12.000 pés.
3. Objetivos
a. Determinar a equipe Campeã da Etapa Dois Vizinhos. b. Pontuar as equipes
para o Ranking geral do Campeonato Paranaense de V-4 2013 c. Estabelecer
tentativas de recordes Paranaense e Brasileiro de V4 d. Incentivar os atletas
filiados a FEPAR em permanecer no esporte, incentivando-os através desta
competição. e. Promover a troca de informações e aprendizado entre as equipes
em um clima saudável de competição e ajuda entre os competidores. f. Promover a
confraternização entre atletas, escolas, instrutores e federação. g. Proporcionar
trocas de experiências, conhecimentos e informações.
4. Execução
O campeonato será executado em 03(três) rodadas, podendo, no entanto ser
considerado válido com apenas 02(duas) rodadas completas realizadas, se houver
impedimento técnico ou qualquer outra circunstância julgada pela comissão técnica
que o impeça de ser continuado. Todos as rodadas realizadas serão válidas, não
haverá descartes. Cada equipe poderá composta por cinco atletas, sendo que um
será o câmera, que não participará da formação e a sua filmagem será o único
objeto de julgamento, ou também, poderá ser com 4 atletas, sendo obrigatório o
uso de camera do primeiro que sair do avião e do ultimo. No salto sem camera,
não haverá o direito de reclamar caso a imagem não pegue o momento do ultimo
gripe. Os demais integrantes poderão a critério próprio utilizar-se de filmadora
porém apenas a filmagem do câmera oficial será observada. A categoria mínima
de participação no campeonato é B. O câmera será o único componente da equipe
que poderá participar em mais de um time, sendo que o mesmo poderá ser câmera
em um time e integrante da formação em outro. O número mínimo de equipes será
de 3 e máximo de 10. Os saltos serão realizados a partir de 12.000 pés.
No posicionamento da saída, somente poderá ter 1 integrante do time para o ladode fora, e 1 sentado na porta do seneca e se houver o camera, ele poderá ficar no
step. É proibido também qualquer tipo de “grip” no momento da saída da aeronave.
“No Grip” O cronômetro será aberto a partir do momento que qualquer parte do
corpo do primeiro integrante da equipe que está para fora do avião em pé, perca o
contato com a aeronave, e será tomado o tempo até que os 4 (quatro) atletas
estejam formados em uma estrela, que deve ser configurada e voe estável por no
mínimo 2 segundos. As tomadas de tempo serão acumuladas a cada salto, será
vencedora a equipe que após o último salto somar o menor tempo gasto para
formar as estrelas. Em caso de empate, a equipe que realizou a estrela no menor
tempo em um dos saltos de competição será considerada a vencedora. O tempo
máximo a ser considerado é de 35 segundos de trabalho após a saída do primeiro
pára-quedista, qualquer tempo acima disto não será considerado. A comissão
técnica terá plenos poderes para julgar os casos de infração as normas de
segurança, cabendo desde eliminação da equipe da competição, até invalidação
do tempo obtido. São consideradas graves, as infrações referentes a aberturas e
curvas a baixa altura. A comissão técnica será composta pelos capitães das
equipes, cabendo as decisões em votação plenária.
Para atletas categoria A, será obrigatório a presença de 2 ateltas categoria D e 1 C
no mesmo time. Obrigatório.
5. Inscrições
As inscrições deverão ser feitas diretamente na área até 1 (uma hora) antes do
início das atividades, mediante a apresentação e presença dos integrantes da
equipe devidamente em dia com a CBPq e FEPAR. Não será cobrada taxa de
inscrição.
6. Premiação Campeã: Troféu Vice Campeã: Troféu
Terceira colocada: Troféu
7. Comissão Organizadora Diretor do Campeonato: Marcelo Banana
8. Juiz Chefe: a definir Júri: Os capitães das equipes participantes.
MEDIDAS IMPORTANTES - SEGURANÇA ÁREAS DE SALTOS NO PARANÁ
Os responsáveis pelas áreas de saltos devem DIVULGAR A ATIVIDADE SEMPRE QUE ACONTECER PARA QUE A FEPAR POSSA PUBLICAR EM SEUS BOLETINS , ALÉM DE :

1 - ENVIAR os relatórios de atividades realizadas para a FEPAR , sempre. ( todas ).
2 - ENVIAR a documentação de clube ( qdo houver abertura de novos clube / escolas ).
3 - ENVIAR a relação dos profissionais que vem de fora do estado pra trabalhar em qualquer área de salto do Paraná ( a FEPAR emite autorização por escrito ).
4 - INDICAR dois profissionais pra serem RTA´s da área de saltos e ver se cumprem os requisitos básicos do Código Esportivo para aturarem nesta função.
5 - CUMPRIR os itens básicos ( check de equipamento / briefing de segurança / assinatura dos termos de responsabilidade / cadastramentos ( CBPq e FEPAR )
6 - ESPECIALMENTE nos caso de aeronave grande , separar os grupos de saltos ( instrutor ou treinador a bordo tem essa responsabilidade )

7 - FISCALIZAR OS CATEGORIZADOS :
- Cat AI não graduado só pode saltar com Instrutor,
- Cat AI graduado só pode saltar com instrutor / mestre de salto ou TBBF.
- Cat A só pode saltar com Instrutor , TBBF ou altetas Cat C pra cima.
- Cat B , só pode saltar com atletas Cat B ou maiores categorizados,

8 - FISCALIZAR o uso de Câmeras – apenas atletas maiores de Cat B, com autorização em caderneta feita por um instrutor regularmente inscrito na CBPQ.
9 - POSSUIR - Livro de advertências e os RTA´s devem ser responsáveis por estas anotações.
10 - POSSUIR Plano de Navegação pra pouso com foto aérea e separação das áreas de pouso por categoria ou tamanhos de velames( especialmente em casos de área de salto com utilização de aeronave grande )
11 - INFORMAR todas as regras da área de saltos em BANNERS explicativos espalhados pela área de salto.
12 - POSSUIR o Serviço de Emergência ou canal pronto para ser solicitado rápido em caso de acidente.

Obs : OBRIGATÓRIO O USO DO DAA , EXCETO OS CAT D QUE USAM VELAMES DE ALTA PERFORMANCE ( RELATAR POR ESCRITO A JUSTIFICATIVA DO NÃO USO ) .

FEPAR : Essas medidas são apenas sugestões e não servem como roteiro básico pra TODAS as áreas de saltos . Cada clube / escola deverá executar seu plano de ação e execução para garantir a segurança das suas próprias atividades.
escolas, instrutores e atletas
nformamos a todos os CLUBES ESCOLAS e INSTRUTORES que ao fazerem o cadastramento de novos alunos ou o recadastramento de atletas bem como aos ATLETAS que forem fazer a sua renovação, que as credenciais só serão emitidas e mudadas as categorias se a ficha de cadastro do site tiver sido preenchida corretamente e tiver toda a documentação necessária como prevê o Código Esportivo.

Também pedimos que seja anotado o nome da pessoa referente ao deposito no comprovante antes de ESCANEAR e envia, ficando assim mais fácil a identificação do depositante.

ATENÇÃO CLUBES: Quando um atleta ou aluno de primeiro salto, que não estiver cadastrado ou com a HABILITAÇÃO vencida, pedimos que seja feito o cadastro do mesmo, ATRAVÉS DO SITE DA FEDERAÇÃO, antes de saltar e os comprovantes de pagamentos enviado no primeiro dia útil após o cadastro.

CLUBES QUE REALIZARAM ATIVIDADE E ESTÃO ENVIANDO SEUS RELATÓRIOS DE ATIVIDADE EM DIA:

1 - FLY LONDRINA
2 - FRANGO LOCO
3 - PATO LOCO
4 - SKYDIVERS ARAPONGAS

a partir da semana que vem SOMENTE SERÃO INFORMADAS E DIVULGADAS AS ATIVIDADES DOS CLUBES QUE ENVIAREM SEUS RELATÓRIOS EM DIA APÓS A REALIZAÇÃO DA ATIVIDADE. Clubes irregulares favor atualizar o seu cadastro de atividades para que possamos ter os dados referentes a lançamentos de alunos, saltos duplos, saltos de atletas bem como os acionamentos de reservas. Favor mandar o e-mail com esses dados para nosso diretor técnico FABIO PELAYO.

Pedimos a todos os clubes que enviem seus relatórios semanalmente até quarta-feira para constar em dia no Boletim da FEPAR.
PARAQUEDISMO SEGURO QUEM FAZ É VOCÊ.

Leia os boletins da CBPq e da FEPAR.

BOM FINAL DE SEMANA A TODOS , BONS SALTOS.

Carlos André Mateus Massignan
Presidente FEPAR
E-MAIL: negoandre01@gmail.com
 
     
       
  www.fepar.org.br
fepar@fepar.org.br
by Colere Design © 2020  

Você está recebendo este e-mail por ser cadastrado no site www.fepar.org.br.
Caso não queira mais receber este e-mail clique aqui.