16 de julho de 2014
 
  Boletim 28/2014

ATIVIDADES CONFIRMADAS E INFORMADAS à FEPAR para as datas de 16 de julho de 2014 a 23 de julho de 2014.

SKYDIVE FOZ
Confirmada atividade diariamente ( segunda a sexta das 9 hs ao por do sol / sabados e domingos das 8 hs ao por do sol ) , Aeroporto ESTANCIA HERCULES, FOZ DO IGUACU - PR. Aeronave Cessna 180 PT- BRB e Pilatus Porter PC6. Instrução : Coach BBF, Coach Belly Fly Avançado , Coach TR , Pilotagem de Velame , Coach de Free Fly e Manutenção de Equipamentos. Equipamentos para alugar : Student 280 / 260 / 190 / 210 capacetes. MAIORES INFORMAÇOES :
45 3027 5070 / 45 9148 9756 / contato@skydivefoz.com

RTA : João Felipe Pisco

PATO LOCO
Confirmada Atividade de Paraquedismo em Pato Branco no sábado e domingo. Aeronave Cessna 182 PT KKM , Cursos ASL / Saltos Duplos / Saltos Fun. Hangar com área de dobragem, lanchonete, banheiros.
MAIORES INFORMACOES: Junior Aver , junioraver@yahoo.com.br, Tel: 46. 91187879.

RTA: Junior Aver

Leia semanalmente os boletins da CBPq e da FEPAR e mantenha-se atualizado, a nossa segurança depende da informação.
Atenciosamente

FEPAR

 
     
     
 
RESULTADO CAMPEONATO DE PRECISAO
Apuração dos vencedores em cada competição :

b.1 – Campeonato Paulista Individual (PAI) de Precisão de Aterragem

1º lugar – Atleta VALDIR PETELINKAR
2º lugar – Atleta GABRIEL BETTIO
3º lugar – Atleta VALDERSON PETELINKAR

b.2 – II Etapa da COPA BRASIL de Precisão de Aterragem Individual – PAI 2014

1º lugar – Atleta DIEGO GABRIEL DA SILVA
2º lugar – Atleta MARCELO RICCI
3º lugar – Atleta ANTONIO AUGUSTO DOS SANTOS

b. 4 – Campeonato Paulista de Precisão de Aterragem em Grupo – PAG 2014

1º lugar – Equipe CAVALEIROS DO VENTO
2º lugar – Equipe SCHUMACHER

b. 5 – II Etapa da COPA BRASIL de Precisão de Aterragem em Grupo – PAG 2014

1º lugar – Equipe FALCÕES
2º lugar – Equipe FALCÕES VERA CRUZ
3º lugar – Equipe VERTICAL SPEED COMETA
FAÇA O QUE TEM QUE SER FEITO
ou Sobre a importância de ter foco no essencial.

Há uma filosofia que o curso de paraquedismo me deu de presente e que se tornou uma lanterna que ilumina meus dias. No meu primeiro salto do curso, quando eu me preparava para sair pela porta do avião com meu próprio paraquedas, meu instrutor dizia “Independente do que estiver sentindo, faça o que tem que ser feito”.

foto de leonardo blasch - aeroclube de manaus
Leonardo Blasch – Aeroclube de Manaus.

Ali, em solo, talvez aquela filosofia não fizesse tanto sentido porque era difícil entender como eu contrariaria o combinado, mas a frase ficou se repetindo na minha mente como um mantra.

E então eu me equipei: coloquei o macacão, ajustei o capacete, peguei meus óculos, chequei meu altímetro, testei meus rádios (sim, aluno de paraquedismo usa rádio para ouvir coordenadas e não pousar na casa de ninguém e sim no aeroclube) e coloquei minha mochila com o paraquedas. Completamente equipada era hora de seguir para o avião. Rádio ligado enquanto eu caminhava para o avião, “Paula, braços altos”, fiz os braços altos, “Paula, esquerda, não Paula, es-quer-da”, teste de rádio ok.

foto leonardo blasch aeroclube manaus
Leonardo Blasch – Aeroclube de Manaus.

Entrar no avião é um dos momentos que produz um pico de adrenalina. “Daqui eu só saio voando”, sempre penso. E lá estava eu, meus dois instrutores do primeiro nível, e outros tantos paraquedistas dentro do caravan sem portas que subiria até 12 mil pés para enfim nos lançar nos céus de Manaus para testarmos nossa habilidade de voo na queda livre, comandarmos nosso paraquedas a 6 mil pés e pousarmos sãos e salvos no aeroclube de Manaus.

Quando o altímetro marca 10 mil pés iniciamos os procedimentos de checagem novamente. Nessa hora o coração tem picos de alegria e ansiedade e quando o mestre de porta observa que estamos na mira certinha do aeroclube, ele grita para o piloto da aeronave “Corta!”.

O avião diminui a velocidade, se mantém alinhado e os paraquedistas, um a um, seguem para a porta e se lançam no espaço. Talvez meus reflexos e meus instintos de sobrevivência entrem em modo ON nesse momento e me façam pensar mil vezes se aquilo é mesmo algo que um humano sem asas poderia fazer por livre e espontânea vontade. A voz do instinto pede mesmo a vez. E o mantra fazia todo sentindo nesse momento. Independente do que estava sentindo, eu caminhava para a porta do avião, fazia os procedimentos combinados para a saída e saia voando. Independente do que estava sentindo, a 6 mil pés eu comandava meu paraquedas. Independente o que estava sentindo, eu seguia as orientações do rádio e pousava em segurança no aeroclube.

Não interessa se estamos diante da queda livre mais incrível do mundo, faça o que tem que ser feito e comande seu paraquedas na altura combinada. Não interessa se voar sobre onde eu bem entender com meu próprio paraquedas parece algo alucinante, faça o que tem que ser feito e voe sobre a área combinada.

E assim, de “faça o que tem que ser feito” em “faça o que tem que ser feito” criei uma disciplina que não vale só para o paraquedismo, mas para tudo na minha vida.

Se o cansaço é demais para fazer minha corrida matinal, eu vou me levantar mesmo assim e farei minha corrida. Se minha vontade é de trabalhar até altas horas da madrugada, eu largarei meu notebook e me prepararei para dormir as horas que acredito serem necessárias. Se ficar por horas nas redes sociais parece mais atrativo, fecharei todas as janelas e abrirei meu livro. Se meu desejo é devorar as cinco barras de chocolate que estão na geladeira, comerei um tablete apenas. Se o atalho parece mais simples, seguirei pela trilha combinada, pois apesar de mais longa ela vai me mostrar o caminho mais belo. “Faça o que tem que ser feito…”

Com minha lista de desejos e realizações para o novo ano em mãos, vou olhar para os grandes propósitos que tenho nessa vida, no que realmente quero realizar na minha vida e na vida das pessoas, no que é mais valioso e essencial para mim, e vou colocar em primeiro lugar a cada dia da minha vida, como tenho feito há meses, desde que terminei meu curso de paraquedismo.

“Independente do que estiver sentindo, faça o que tem que ser feito” é meu mantra, um ótimo mantra para um 2014 de realizações. Que seja um ótimo ano para nós.

foto skydive amazonas
Paula Quintão, foto Skydive Amazonas.

Paula Quintão é Escritora, publicitária, montanhista-viajante, paraquedista, mestre em Ciência da Informação pela UFMG e doutoranda em Ciências do Ambiente pela UFAM, fundadora da Equipar Consultoria e Treinamentos. Escreve em seus blogs Manaus pra Mim(manauspramim.com.br) e Um novo Eu (blogequipar.com). Se quiser entrar em contato, é só mandar um e-mail (pgquintao@gmail.com)
PARAQUEDISMO SEGURO QUEM FAZ É VOCÊ.

Leia os boletins da CBPq e da FEPAR.

BOM FINAL DE SEMANA A TODOS , BONS SALTOS.

CARLOS NEGOANDRE MASSIGNAN
Presidente FEPAR

ACESSEM NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK:
https://www.facebook.com/pages/FEPAR-Federação-Paranaense-de-Paraquedismo/403972879724482
 
     
       
  www.fepar.org.br
fepar@fepar.org.br
by Colere Design © 2020  

Você está recebendo este e-mail por ser cadastrado no site www.fepar.org.br.
Caso não queira mais receber este e-mail clique aqui.