Segunda, 15 de Julho de 2019
 
  Boletim FEPAR 12/2019 - Jogos de Aventura e Natureza

Nobres paraquedistas paranaenses, segue informativo do Jogos de Aventura e Natureza etapa Paranaguá.

Podemos adiantar que teremos etapas em Paranaguá, Guaíra e Foz do Iguaçu, com possibilidade de outra etapa em local a decidir pelo Governo do Estado.

A FEPAR organizará campeonatos com todas as categorias, com ênfase em SEGURANÇA e aprendizado à todos. Garantimos que teremos campeonatos nas categorias "AI"a "D".

Diretoria FEPAR

 
     
     
 
JOGOS DE AVENTURA E NATUREZA
Etapa Paranaguá – 9 e 10 de agosto de 2019
Paranaguá – PR

1. Finalidade
Regulamentar os Jogos da Natureza do Estado do Paraná – Etapa Paranaguá – ano 2019 que será organizado e realizado pela Federação Paranaense de Paraquedismo – FEPAR em conjunto com a Paraná Esportes.

2. Local, Data, horário e Aeronave
Local: Aeroporto de Paranaguá;
Data: 09 e 10 de agosto de 2019
Horário inicia: 12h do dia 9 de agosto – Reunião dos capitães e início do campeonato
Horário máximo previsto para o término: pôr do sol do dia 10 de agosto;
Aeronave: PR-BEX

3. Objetivos
a. Determinar a equipe Campeã da Etapa Paranaguá – Jogos de Aventura e Natureza;
b. Promover a troca de informações e aprendizado entre as equipes em um clima saudável
de competição e ajuda entre os competidores;
c. Incentivar os atletas filiados a FEPAR em permanecer no esporte, incentivando-os através de competições;
e. Promover a confraternização entre atletas, escolas, instrutores e Federações;
f. Proporcionar trocas de experiências, conhecimentos e informações;
g. Apresentar o esporte ao público leigo no local.

4. Execução

 O campeonato será executado em no mínimo 03 (três) rodadas e no máximo 05 (cinco) rodadas, podendo, no entanto ser considerado válido com apenas 01 (uma) rodada completa realizada. Se houver impedimento técnico ou qualquer outra circunstância julgada pela comissão técnica que o impeça de ser continuado.

 Todas as rodadas realizadas serão válidas, não haverá descartes.

 Não será permitida a participação em mais de um time na tarefa de formação.

 O número mínimo de equipes será de 03 e máximo de 06.

 Os saltos serão realizados a partir de 10.000 pés.

 Cada equipe será composta por cinco atletas, sendo que um será o câmera, que não participará da formação e a sua filmagem será o único objeto de julgamento.

 Os demais integrantes poderão a critério próprio utilizar-se de filmadora, porém apenas a filmagem do câmera oficial será observada.

 A categoria mínima de participação no campeonato é “B” e 150 saltos comprovados em caderneta de saltos.

 O câmera será o único componente da equipe que poderá participar em mais de um time, sendo que o mesmo poderá ser câmera em um time e integrante da formação em outro.

 Antes da saída qualquer membro da equipe deverá informar qual rodada estará saltando, informação deverá ser feita e a filmagem do câmera deverá ser continua.

 No posicionamento da saída poderá haver um único integrante no montante do avião, esse será considerado o primeiro integrante.

 É proibido também qualquer tipo de “grip” no momento da saída da aeronave. “No Grip”

 Caso o primeiro integrante que esteja no montante obstrua ou atrapalhe o julgamento, contabilizará o momento que o câmera se lançar, e também deverá ser acrescido o tempo de 05 (cinco) segundos no tempo final;

 Caso o câmera salte antes e/ou não filme o início exato da contagem, será considerado o início que o câmera se lançou do avião, e também deverá ser acrescido o tempo de 05 (cinco) segundos no tempo final;

 O cronômetro será aberto a partir do momento que qualquer parte do corpo do segundo integrante da equipe encontre-se fora da porta do avião, portanto o “PS” deve ser feito antes da saída do câmera, e será tomado o tempo até que os 4 (quatro) atletas estejam formados em uma estrela, que deve ser configurada e voe estável por no mínimo 2 segundos.

 Após o fechamento da estrela, o voo deverá continuar belly fly, fica proibido free fly vertical e hibrído. Caso infringido será considerado o tempo de 30 segundos, e na reincidência eliminação da equipe.

 As tomadas de tempo serão acumuladas a cada salto, será vencedora a equipe que após o último salto somar o menor tempo gasto para formar as estrelas. Em caso de empate, a equipe que realizou a estrela no menor tempo em um dos saltos de competição será considerada a vencedora.

 O tempo máximo a ser considerado é de 35 segundos de trabalho após a saída do segundo paraquedista, qualquer tempo acima disto não será considerado.

 A comissão técnica terá plenos poderes para julgar os casos de infração as normas de segurança, cabendo desde eliminação da equipe da competição, até invalidação do tempo obtido.

 São consideradas graves, as infrações referentes a aberturas e curvas a baixa altura, free fly após a star, pouso no sentido contrário e “carroceis”.

 A comissão técnica será composta pelos juízes, capitães das equipes, cabendo às decisões em votação plenária.

5. Inscrições
As inscrições deverão ser feitas através do e-mail fepar@fepar.org.br

6. Premiação
Campeã: Troféu ao time, medalhas aos integrantes, 50% do valor arrecadado da inscrição;
Vice Campeã: medalhas aos integrantes, 20% do valor arrecadado na inscrição;
Terceira colocada: medalhas aos integrantes, 10% do valor arrecadado nas inscrições ao time;
Todos participantes: 20% de free beer do valor arrecadado.

7. Comissão Organizadora
Diretor do Campeonato: Diretoria Federação Paranaense de Paraquedismo
Juiz Chefe: a decidir.
Júri: Os capitães das equipes participantes.

8. Seleção de participação
Terão prioridades na participação conforme escala:
a. Filiados a Confederação Brasileira de Paraquedismo e FEPAR com mínimo 01 ano de filiação;
b. Profissionais da CBPq – IAFF, JMAFF, IASL, JMASL, TBBF e TANDEM PILOT;
c. Categoria D - comprovada no site da CBPq;
d. Categoria C - comprovada no site da CBPq;
e. Categoria B e 150 saltos - comprovada no site da CBPq e caderneta;
f. Tempo e atividade no esporte;
g. 30 saltos nos últimos 6 meses, comprovados em caderneta;
h. Ter realizados saltos no local;
i. Estar frequentando boogies e áreas do Estado do PR;

8.1 Impossibilidades de participação:
a. Não estar com anuidade em dia da Confederação Brasileira de Paraquedismo e devida Federação (Não haverá renovação no local);
b. Re-certificação de equipamento fora do prazo conforme Código Esportivo da CBPq;
c. Não possuir DAA (Dispositivo de Abertura Automática) ou fora de validade;
d. Equipamento não aprovado por rigger/certificadores ou instrutores no local;
e. Categoria B com menos de 150 saltos;
f. Categoria A;
g. Categoria AI.

9. Times
a. Times deverão ser inscritos pelos capitães e clubes;
b. Nomes deverão ser escolhidos pelo clube/cidade;
c. Caso algum participante não tenha time e queira participar, a FEPAR estará à disposição para indicar outros membros que estejam na mesma situação.

10. Hospedagem/Estrutura
a. Alojamento para todos os participantes, sem custo (o hospede deverá levar colchão e roupa de cama);
b. Para fins de alojamento, deverá ser enviado uma listagem com nomes com 15 dias de antecedência;
c. Food trucks;
d. Banheiros químicos;
e. Área de dobragem e descanso para os paraquedistas;
f. Espaço ao público com arquibancadas;
g. Espaço criança;
h. DJ;
i. Demais estruturas de entretenimento.

11. Valores de inscrição
Será cobrado o valor de R$150,00, por participante, inclusive para o câmera, no qual será revertido para premiação conforme item 06;

Fica proibido ao câmera qualquer tipo de cobrança de profit (somente valor de dobragem), sob pena de exclusão dos jogos de Aventura e Natureza.

Fica proibido qualquer tipo de cobrança de profit pelos participantes do campeonato.

12. Valores de dobragem
Dobragem velame principal R$20,00

13. Valores de vaga
Para as rodadas do Campeonato V4 NÃO HAVERÁ COBRANÇA;

 
     
       
  www.fepar.org.br
fepar@fepar.org.br
by Colere Design © 2020  

Você está recebendo este e-mail por ser cadastrado no site www.fepar.org.br.
Caso não queira mais receber este e-mail clique aqui.